post

Caminhando Pela Grécia

No artigo de hoje vamos fazer uma caminhada virtual pela Grécia a capital da Atenas, com uma população aproximadamente em 10,8 milhões de pessoas.

Antes de partimos temos que responder algumas questões, como por exemplo:

O CLIMA E QUAL A MELHOR ÉPOCA DO ANO PARA IR

Os climas de lá são diferentes do Brasil. Maio e Junho são de fato os melhores meses para visitar e caminhar pela Grécia já que a estação é a primavera, temos Setembro e Outubro que é outono. Agora se você quer de fato vê toda a agitação e movimento na Grécia, é sempre sombras de dúvidas a época do verão, nessa época do ano as ilhas são lotadas, hotéis e restaurantes super cheios, transportes sempre indo e vindo, mas tem um porém, esteja preparado para o calor, pois a temperatura pode chegar fácil aos 40 graus, já em contra partida no inverno que se começa no finalzinho de noembro e começo de abril.

Vários hotéis e restaurantes se encontram fechados e há bem menos movimento e agitação na Grécia, bem menos transportes entre as ilhas, há varia de gosto para gosto, se você gosta do inverno e uma cidade com pouco movimento, vá na época de inverno, agora se você prefere agitação e a aproveitar ao máximo tudo que a capital de Atenas tem a ofereer, você precisa de fato ir na época do Verão.

QUAL A MOEDA DA GRÉCIA?

Nesse caso a moeda é nada mais nada menos que o EURO.
ATM: Há caixas automáticas em todas as cidades cuja dimensão o justifique. Os detentores de cartões das redes MasterCard e Visa terão muitas opções de levantar dinheiro; os que usam as redes Cirrus e Maestro, terão menos opções mas não terão dificuldades de o fazer nas áreas mais turísticas. Considere a utilização do cartão Revolut.

A GEOGRAFIA

A Grécia Antiga pode ser dividida pelo menos em cinco partes: Grécia continental, Grécia peninsular, Grécia Insular, Grécia Asiática e Magna Grécia (estes dois últimos são territórios mais longínquos que nos possibilitam perceber a migração dos gregos).

A HISTÓRIA DA GRÉCIA ANTIGA

Os primeiros gregos eram conhecidos como jônios e submeteram todos os povos que ali viviam a escravidão por meio da violência. Os jônios eram exímios militares e aprenderam muito com as populações dominadas, construíram várias cidades fortificadas na região e deixaram o comércio marítimo de lado. Por volta do ano de 1580 a.C. foram expulsos da região pelos gregos aqueus eólios e encontraram refúgio na Grécia peninsular, mais precisamente na região que era conhecida como Ática.

CAMINHANDO PELA GRÉCIA

Mais uma caminhada e estava na entrada do Teatro de Dionísio, onde os cidadãos da antiga Grécia se sentavam na colina para realizar cultos ao deus dos ciclos vitais, das festas, do vinho e do teatro.

Pelo complexo, deixei o Templo de Zeus Olímpico por último. Trata-se de uma ruína monumental dedicada à Zeus, o famoso rei dos deuses do Olimpo.

A construção original, feita de mármore do monte Pentélico (situado à noroeste de Atenas), tinha 104 colunas coríntias de 15 metros, das quais só se conservam 15, devido ao terremoto que atingiu a região na Idade Média.

Uma dica de coração é aproveitar o pôr do sol no Cabo de Sounion, uma península no sul de Ática, a quase 70km de Atenas. Nessa península temos um dos templos gregos mais bem conservados da Grécia, erguido em homenagem à Poseidon com o intuito de proteção às águas.

Para quem curtiu o dia passeando por Atenas, deixo duas dicas para seguir ao Cabo: alugando um carro ou via excursão, facilmente contratada nas agências do centro de Atenas.

Localizada a 27km desde Atenas, essa ilha possui uma área de cerca de  87 km², sendo dois terços da ilha formados por um vulcão extinto.

Aegina, Grécia

Aegina, Grécia

Ao final do dia, fica a dica de conhecer o Flea Market, ou Mercado de Pulgas grego. O mais famoso é o Monastiraki, iniciado na praça que leva o seu nome.

Perca-se pelas ruelas, pois essa é, sem dúvidas, uma das atividades mais gostosas de se fazer durante uma visita à Atenas!